sábado, 31 de janeiro de 2009

LITURGIA DO MÊS DE FEVEREIRO - 2009



“O menino ia crescendo e se fortificava: estava cheio de sabedoria, e a graça de Deus repousava nele.”
Lc 2 , 40


“E assim, a alma é renovada, como a águia, em sua juventude e vestida do homem novo, criado segundo Deus, como diz o Apóstolo.’ (Ef 4,24)
São João da Cruz - 2N 13,11

Intenção missionária do mês: A Igreja na África e a Paz. Para que a Igreja na África encontre caminhos e meios adequados para promover eficazmente a reconciliação, a justiça e a paz, seguindo as indicações da 2ª. Assembléia Especial para a África do Sínodo dos Bispos. Para que os Pastores da Igreja sejam, cada vez mais, dóceis à ação do Espírito Santo em seu ensino e no serviço ao Povo de Deus.



DESTAQUES LITÚRGICOS DO MÊS

Dia 02 – Apresentação do Senhor
Dia 11 – Nossa Senhora de Lourdes
Dia 25 – Cinzas




Liturgia - 01 de Fevereiro - 4o. DIMINGO DO TEMPO COMUM




Cor litúrgica: Verde


Ofício dominical comum

IV Semana do Tempo Comum

Liturgia das Horas: 1037

Oração das Horas: 1033


Leituras: Dt 18, 15-20 – Sl 94(95)
1Cor 7,32-35 – Mc 1,21-28


“Todos se maravilhavam de sua doutrina e ensinava como quem tem autoridade.”
Os aspectos de seu ministério levam marcas inconfundíveis: a autoridade e o poder de quem anuncia a chegada do reino de Deus, que se torna realidade.


“A verdadeira piedade há de brotar do coração, firmando-se na verdade e solidez, significadas nestas coisas espirituais; o resto é apego e propriedade de imperfeição, que é necessário cortar, a fim de atingir algo da perfeição.”
São João da Cruz – 1N 3,1

Cartas de Santa Teresa de Jesus no dia 1º.

1574 – C. 58 – De Alba de Tormes, escreveTeresa de Jesus a Dom Álvaro de Mendonza, Bispo de Ávila, dizendo ter freqüentes notícias deDom Álvaro pela Priorade Villidolid. Fala à Duquesa de Alba de um assunto que interessa ao Senhor Bispo. Queixa-se a D. Álvaro de a ter tão esquecida.
1576 - C. 98 – De Sevilla, escreve ao Padre Juan Bautista Rubeo, Geral dos Carmelitas em Roma, dando-lhe conta da Fundação de Descalças em Beas, Caravaca e Sevilla. Suplica ao Geral tenha os Descalços na conta de filhos bons e obedientes. Acata a decisão do Capítulo que lhe ordena retirar-se a um convento de Castela. Inquietação das monjas da Encarnação.
1578 – C.221 – De Ávila, escreve Teresa de Jesus ao Padre Gonçalo Dávila, Reitor da Companhia. “Fiz aquilo a que estava obrigada pela nobreza e cristandade. Cumpra-se a vontade de Deus.”
1580 – C. 315 – Carta de Teresa de Jesus à Madre Maria de São José, Priora de Sevilla. Novos testemunhos de amor às Descalças de Sevilla. Qualidade da roupa a ser usada no verão. Só se confesse “com frades da ordem” – Singeleza e veracidade no que se escreve. A Experiência, mãe da Ciência.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Liturgia - 31 de Janeiro - SÃO JOÃO BOSCO, Presbítero




Cor litúrgica : Branco





Ofício da memória
Laudes:
Liturgia das Horas: 1224-1631-999
Oração das Horas: 1184-1523-1021

I Vésperas do 4o. Domingo do Tempo Comum
Liturgia das Horas: 1027
Oração das Horas: 1028

Leituras: Hb 11,1-2.8-19 – Cânt. Lc 1,69-70-75 Mc 4, 35-41

“Quem é este, que até o mar e o vento obedecem?”
Somente a fé possibilita conhecer Jesus e manter com ele um convívio de amizade, de relacionamento humano-divino.

Memória de São João Bosco, sacerdote, morto em Turim em 1888. Foi apóstolo, por excelência, da juventude operária em favor da qual exerceu seus carismas de taumaturgo e fundou a Sociedade dos Salesianos e a Congregação das Filhas de Maria Auxiliadora.

“Para chegar à união com Deus tudo está precisamente em purificar a vontade dos seus afetos e apetites, transformando assim essa vontade grosseira e humana em vontade divina, identificada à vontade de Deus,”
São João da Cruz – 3S 16,3

Cartas de Santa Teresa em 31 de janeiro

1579 – C.271 – a Dom Fernando Pantoja, em Sevilla – Desgosto das Descalças de Sevilla com Garcia Alvarez. A priora de Sevilla deposto de seu ofício. Falsidades e calúnias contra as Descalças. Mais de seis horas de interrogatório para algumas religiosas. “O demônio não pode sofrer que haja Descalças nem Descalços”.


1579 – C.272 – às Carmelitas Descalças de Sevilla – Admiráveis conselhos para o tempo de tribulações em que estavam. Inveja a Santa o que padecem por Deus. Muita oração e confiança no Senhor. “Saiam-se com honras as filhas da Virgem”. Todas as Descalças lhe estão unidas. Calúnias contra Padre Gracián.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Liturgia - 30 de Janeiro - 6a-FEIRA DA 3a SEMANA DO TEMPO COMUM







Cor litúrgica: Verde





Liturgia das Horas: 998
Oração das Horas: 1008

Leituras: Hb 10, 32-39 – Sl 36(37) – Mc 4,26-34
“O reino de Deus é como o grão de mostarda...
e como um homem que lança a semente.”

Esta parábola ilustra que Deus tem um modo de agir
diferente do nosso. Ela acentua a vitalidade da semente
e sugere que o reino de Deus, por sua vitalidade divina,
evolui de maneira irreversível.


“A obra pura e inteiramente feita por Deus em seio puro, transforma-se em reino inteiro para o seu Senhor.”
S. João da Cruz – D 21



“É muito bom que qualquer serviço prestado à sua Mãe agrade a Nosso Senhor, e grande é a sua Misericórdia. Seja sempre louvado e bendito, pois paga com a vida e glória eternas a baixeza de nossas obras, fazendo-as grandes quando são de pouco valor.”
Santa Teresa de Jesus – Fundações – Cap. 10,5

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Liturgia - 29 de Janeiro - 5a-FEIRA DA 3a SEMANA DO TEMPO COMUM




Cor litúrgica - Verde


Ofício do dia de semana
Liturgia das Horas: 977
Oração das Horas: 995

Leituras: Hb 10,19-25 – Sl 23(24)
Mc 4, 21-25
“As exigências do ensinamento em parábolas”
Diante da nossa realidade, é tarefa de cada um de nós colocar
sobre o candelabro a lâmpada da Boa Nova de Jesus Cristo.

“Quantas vezes, Senhor, podereis vós dizer nessas ocasiões: “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim” (Mt 15,8), isto é, o seu culto é destituído de fundamento.”­
S. João da Cruz – 3S 38,3

“Voltando agora ao nosso agradável e maravilhoso castelo, vejamos como se há de fazer para penetrar no seu interior.”
Santa Teresa de Jesus

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

27 de janeiro - SANTO HENRIQUE DE OSSO E CERVELLÓ,

Memória facultativa na O.C.D.

Nascido em Vinebre, na Catalunha, a 16 de outubro de 1840, foi ordenado sacerdote a 21 de setembro de 1867. Apóstolo das crianças pela catequese, inspirados de movimentos laicais para uma vivência mais empenhativa do evangelho, diretor de almas. Ficou fascinado pela espiritualidade de santa Teresa de Jesus, mestra de oração e filha da Igreja, à luz de cuja doutrina fundou, em 1876, a Companhia de Santa Teresa. Seus membros devem formar as jovens na escola do evangelho segundo os exemplos da santa de Ávila. Apóstolo dos novos tempos com a pregação e o apostolado da imprensa, após grandes provações e so­frimentos, morreu em Gilet (Valência) a 27 de janeiro de 1896.

Dos Escritos do santo Henrique de Ossó, presbítero
(Um mês na escola do Sagrado Coração, Pról. dos Escri­tos, 3, Roma, 1977, pp. 456-458)

Tende os sentimentos de Cristo

Pensar como Jesus Cristo, sentir como Jesus Cristo, amar como Jesus Cristo, agir como Jesus Cristo, conver­sar como Jesus Cristo, falar como Jesus Cristo. Enfim, conformar toda a nossa vida à de Cristo, revestir-nos de Jesus Cristo! Nisto consiste o único interesse, a ocupação essencial e primária de todo cristão; porque cristão signi­fica alter Christus, outro Cristo. Salvar-se-á aquele que for encontrado conforme à imagem de Cristo. E, para con­formar-nos à vida de Cristo, é necessário antes de tudo estudá-la, conhecê-la, meditá-la. Não porém nos aspectos exteriores, mas penetrando os sentimentos, afetos, dese­jos, intenções de Jesus Cristo, buscando tudo fazer em perfeita união com ele.
É o próprio Jesus, com sua bondade e palavras, quem nos convida a agir assim. Mas como aprenderemos, por exemplo, sua mansidão e humildade? Como em cada ação nos colocaremos diante de Cristo para imitá-lo, se não co­nhecemos os sentimentos de seu Coração ao realizá-la? Porque Cristo viveu, comeu, dormiu, falou, calou-se, ca­minhou, cansou-se, repousou, suou, padeceu fome, sede, pobreza, numa palavra: trabalhou, sofreu, morreu por nós, pela nossa salvação. Portanto, devemos representar-nos Jesus ao natural e realmente; não de maneira teórica e ide­al, que nos levaria a não amá-lo e a não imitá-lo em tudo, como é nosso dever. Jesus é nosso irmão, carne de nossa carne, sangue de nosso sangue, ossos de nossos ossos. Este é o meu Jesus, Deus e homem verdadeiro, vivo, pessoal, que se fez visível sobre esta terra, que viveu, conversou conosco por trinta e três anos. De fato, Verbo eterno do Pai, por nossa salvação desceu do céu, encarnou-se, sofreu, morreu, ressuscitou, subiu ao céu, permanecendo entre nós, no Santíssimo Sacramento do altar, até a consumação dos séculos, para ser nosso companheiro, conforto, alimento.
A vida eterna consiste em conhecer sempre mais a Jesus Cristo, nossa única felicidade no tempo e na eternidade. Quão feliz será a alma que aprender cada dia esta lição e a puser em prática! Que suave pensamento: Viverei, come­rei, dormirei, falarei, calarei, trabalharei, padecerei, tudo farei e sofrerei em união com Jesus, conformando-me à divina intenção e aos sentimentos com que Jesus agiu e quer que sejam os meus no agir ou padecer! Aquele que assim proceder — e devemos todos fazê-lo — viverá, na terra, vida de céu; transformar-se-á em Jesus e poderá re­petir com o Apóstolo: já não sou eu que vivo, pois é Cristo que vive em mim.

Oração
Ó Deus, que em santo Henrique, presbítero, conciliastes admiravelmente o espírito de contínua oração com uma in­fatigável atividade apostólica, por sua intercessão, concedei-nos perseverar no amor de Cristo e servir a vossa Igreja com o testemunho da palavra e da vida. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

[ Da Liturgia das Horas, Próprio da OCD]

Liturgia - 28 de Janeiro - SÃO TOMÁS DE AQUINO,Presbítero e Doutor



Cor litúrgica: Branco


Ofício da memória
Liturgia das Horas: 1221-1649-958
Oração das Horas: 1183-1533-983

Leituras: Hb 10, 11-18 – Sl 109(110) – Mc 4, 1-20


“O semeador saiu a semear...”
Não se pode seguir a Cristo se sua palavra não crescer dentro de nós.

Santo Tomás de Aquino nasceu por volta de 1225, da família dos Condes de Aquino. Ingressou na Ordem dos Frades Pregadores e completou os estudos em Paris e em Colônia, tendo como professor Santo Alberto Magno. Escreveu muitas obras de grande erudição. Morreu a 7 de março de 1271.

“A mosca no mel o seu vôo impede; a alma que quer estar apegada ao sabor do espírito impede a sua liberdade e contemplação.”
São João da Cruz – D 24

“Vi Nossa Senhora com grandíssima glória, com manto branco e debaixo dele parecia amparar-nos a todas.”
Santa Teresa de Jesus – V 36,24

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Liturgia - 27 de Janeiro - SANTO HENRIQUE DE OSSÓ e CERVELLO, Presbítero e Fundador da Companhia de Santa Teresa



Cor litúrgica: Branco

Ofício próprio da memória facultativa na OCD ou
Liturgia das Horas: 1631-938
Oração das Horas: 1523-972

Leituras próprias: Sb 7,7-8.10-14; 8,2-3
Sl 15 – Mt 5,13-16
“Vós sois a luz do mundo.”
Fazer a vontade de Deus é algo concreto, definido e deve expressar a nossa escolha, a nossa fidelidade.

Santo Henrique de Ossó e Cervelló nasceu na Catalunha a 16 de outubro de 1840 e foi ordenado sacerdote em 1867. Foi Apóstolo das crianças pela catequese, inspirador de movimentos laicais e diretor de almas. Ficou fascinado pela espiritualidade de Santa Teresa de Jesus, mestra de oração e filha da Igreja, à luz de cuja doutrina fundou em 1876 a Companhia de Santa Teresa. Morreu em 1896.

“Põe os olhos só em Cristo e acharás mistérios ocultíssimos e tesouros de sabedoria e grandezas divinas nele encerrados.”
São João da Cruz - 2S 22,6


“Grandes virtudes, eis o que peço Deus nos conceda, especialmente a humildade e o amor mútuo, dado que elas são as de maior importância.”
Santa Teresa de Jesus

domingo, 25 de janeiro de 2009

Liturgia - 26 de janeiro - SÃO TIMÓTEO e SÃO TITO

Cor Litúrgica: Branco

Ofício da memória
III Semana do Saltério
Liturgia das Horas:1216-1631-918
Oração das Horas: 1182-1523-959

Leituras próprias: 2Tm 1,1-8 ou Tt 1,1-5
Sl 95(96) – Lc 10,1-9
“A semente brota e cresce, sem ele o perceber.”
Plantamos, regamos, tiramos o mato, mas quem dá vigor à semente é Deus.

Comemoração dos Santos Timóteo e Tito, discípulos de São Paulo. Timóteo colaborou na evangelização da Ásia Menor e recebeu a direção da Igreja de Éfeso. Tito, originário da Antioquia, foi designado por São Paulo para ir relembrar aos coríntios a doutrina da liberdade cristã em relação à lei mosaica. Organizou e dirigiu a Igreja de Creta.

“Por mais que a alma principiante se exercite na mortificação de todas as suas ações e paixões, jamais chegará consegui-lo totalmente, por maiores esforços que empregue, até que Deus opere passivamente nela por meio da purificação da noite.” São João da Cruz –1N 7,5

Carta de Santa Teresa em 26 de janeiro

1577 – C. 174à Madre Maria de São José, Priora de Sevilla – A Santa recebeu bem todos os presentes enviados pela Priora de Sevilla. O “Agnus Deis”. Remédios para a enfermidade de Brianda de São José. Ordem do Geral para que a Santa não funde mais conventos. As “pastilhas de açúcar rosado”.

sábado, 24 de janeiro de 2009

Liturgia - 25 de Janeiro - CONVERSÃO DE SÃO PAULO, Apóstolo




Cor litúrgica: Branco


Ofício festivo próprio
Liturgia das Horas: 1210-626
Oração das Horas: 1177-764

Leituras próprias: At 22,3-16 0u At 9,1-22

Sl 116(117) 1 Cor 7,29-31 – Mc 16,15-18


“Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo; fazei penitência e crede no Evangelho.”

A presença do Reino mostra a soberania universal de Deus como compassivo e salvador.

Festa da Conversão de São Paulo, fato que ocorreu seis anos depois da Ascensão do Senhor. Pouco depois de ter aprovado o martírio de Santo Estêvão, que morreu rezando por seus carrascos, Saulo de Tarso, fariseu, tramava ameaças contra os adeptos do caminho de Cristo, até que um dia, viajando para Damasco, foi chamado pelo próprio Jesus, a quem perseguia, a tornar--se um instrumento privilegiado para evangelização do mundo.

“Oh! Se os homens soubessem de quantos bens da luz divina os priva esta cegueira causada por seus apegos e afeições desregradas, e em quantos males e danos os fazem cair cada dia por não se quererem mortificar!”
S. João da Cruz – IS 5,4


“Era grandíssima a formosura que vi em Nossa Senhora... parecia-me muito menina.”
Santa Teresa de Jesus – V 33,15

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Liturgia - 24 de janeiro - SÃO FRANCISCO DE SALES, Bispo e Doutor

Cor litúrgica: Branco





Ofício da memória
Laudes: Liturgia das Horas: 1204-1631-880
Oração das Horas: 1176-1523-932
I Vésperas: Lit. das Horas:1546-1554-626
Oração das Horas: 1476-1487

Leituras: Hb 9,2-3.11-14 – Sl 46(47) – Mc 3,10-21

“Os parentes de Jesus diziam que ele estava fora de si.”
O que pensamos a respeito de Deus, da vida, do mundo, das pessoas e de nós mesmos nem sempre corresponde com a realidade.

Memória de São Francisco de Sales, bispo de Genebra e Doutor da Igreja. Nascido de nobre linhagem da Savóia, reconduziu sua região calvinista para a unidade católica através de sua pregação e de suas publicações. Dedicou-se, além disso, a introduzir os leigos na vida espiritual e fundou, com Santa Joana de Chantal a Ordem da Visitação, Morreu no dia 28 de dezembro de 1622. É patrono dos editores cristãos.

“Que comparação se pode estabelecer entre a fome, causada por todas as criaturas, e a fartura que proporciona o espírito divino?”
S. João da Cruz - 1S 6,3

“Vi Nossa Senhora do lado direito e a meu pai São José do esquerdo, que vestiam com aquela roupa... logo me pareceu Nossa Senhora tomar-me pela mão.”
Santa Teresa de Jesus – V 33,14

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Liturgia - 23 de janeiro - 6a-FEIRA DA 2a SEMANA DO TEMPO COMUM




Cor litúrgica: verde

Ofício do dia de semana
Liturgia das Horas: 859
Oração das Horas: 918


Leituras: Hb 8,6-13 – Sl 84(85) – Mc 3,13-19


“Jesus escolheu os Doze.”
Escolhendo os Doze, Jesus pretende preparar o novo povo de Deus, o Israel santo dos últimos tempos. As características mencionadas no relato da escolha – formação e missão, escuta e proclamação, contemplação e atividade – são dimensões que se condicionam reciprocamente.

“Convém saber que a alma, quando determinadamente se converte a servir a Deus, de ordinário é criada e regalada pelo Senhor, com o mesmo procedimento que tem a mãe amorosa com a criança pequenina.”
S. João da Cruz – 1N 1,2

“A Mãe de Deus amava mais a Jesus Cristo do que todos os apóstolos.”
Santa Teresa de Jesus – V 22,1

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Liturgia - 22 de janeiro - 5a-FEIRA DA 2a SEMANA DO TEMPO COMUM





Cor litúrgica: Verde

São Vicente, Diácono e Mártir - MFac
Liturgia das Horas: 840
Oração das Horas: 905

Leituras: Hb 7,25-8,6 – Sl 39(40) – Mc 3,7-12
“Jesus ordenava severamente para que não dissessem
quem ele era."

Jesus era um homem do povo. A multidão o via sempre à sua disposição. Isso mostra a atividade pastoral do Mestre: o homem divino e humano não projeta nos outros a menor sombra de superioridade.

No ano da graça de 304, São Vicente, diácono de Saragoça, na Espanha, martirizado em Valência. No momento em que ia morrer, pediu a seu bispo a graça de afirmar sua fé, tal como havia recebido a de anunciar o Evangelho.

“Buscando meus amores, irei por estes montes e ribeiras, não colherei as flores, nem temerei as feras e passarei os fortes e fronteiras.”
São João da Cruz - C 3

“...a alma que reconhece suas fragilidades se faz devota da Rainha do Céu para que aplaque a divina justiça.”
Santa Teresa de Jesus – V 19,5

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Bento XVI proclama 5 novos santos e 6 beatos

Entre eles há dois carmelitas leigos

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 19 de janeiro de 2009 (ZENIT.org).- A Santa Sé deu a conhecer no sábado passado a aprovação dos decretos que reconhecem os milagres atribuídos à intercessão de 5 novos santos. 

Também divulgou a aprovação de 6 decretos que reconhecem as virtudes heróicas de outros servos de Deus. Cinco dos decretos foram aprovados no sábado passado, e outro em 22 de dezembro de 2008. 

Os decretos de milagres se atribuem aos beatos: 

– Ciriaco Maria Sancha y Hervás (1833-1909), espanhol, arcebispo de Toledo e cardeal, fundador das Religiosas da Caridade. Nasceu em Quintana del Pidio e morreu em Toledo (Espanha). 

– Carlo Gnocchi (1902-1956), italiano, sacerdote e fundador da Obra Pro Iuventute. Nasceu em San Colombano al Lambro e morreu em Milão (Itália). 

– Bernardo Francisco de Hoyos (1711-1735), espanhol, sacerdote da Companhia de Jesus; nasceu em Torrelobatón e morreu em Valladolid (Espanha). 

– Rafael Rafiringa (1856-1946), alemão, religioso da Ordem Hospitalar de São João de Deus, nascido em Neuhaus e morto em Ratisbona (Alemanha). 

As virtudes heróicas se atribuem aos servos de Deus: 

– João de Palafox y Mendoza (1600-1650), espanhol, bispo de Osma; nasceu em Fitero e morreu em Osma (Espanha). 

– Roberto Spike (1821-1888), polonês e fundador da Congregação das Irmãs de Santa Edwiges; nasceu em Lesnica (então Silésia Prusiana) e morreu em Wroclaw (Polônia). 

– Carolina Beltrami (1869-1932), italiana, fundadora do Instituto das Irmãs Inmacolatinas de Alessandria; nasceu e morreu em Alessandria (Itália). 

– Maria Inmaculada Concepción Salvat y Romero (1926-1998), espanhola, superiora geral do Instituto das Irmãs da Companhia da Cruz; nasceu em Madri e morreu em Sevilha (Espanha). 

– Liberata Ferrarons i Vives (1803-1842), espanhola, leiga da Ordem Terciária Carmelita; nasceu e morreu em Olot (Espanha). 

– José Tous i Soler (1811-1842), espanhola, leiga da Ordem Terciária Carmelita, nasceu e morreu em Olot (Espanha). 

– José Tous i Soler (1811-1871), espanhol, sacerdote dos Frades Menores Capuchinhos e fundador das Irmãs Capuchinhas da Mãe do Divino Pastor; nasceu na Inglaterra e morreu em Barcelona (Espanha). 

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Madre Conceição - Carmelita Descalça

Madre Conceicao Ocd
View SlideShare presentation or Upload your own.

Liturgia - 21 de janeiro - SANTA INÊS - Virgem e Mártir




Cor litúrgica: vermelho

Ofício próprio da memória


Liturgia das Horas: 1196-1199-819

Oração das Horas: 1174-1509-891


Leituras: Hb 7,1-3.15-17 – Sl 109(110) – Mc 3,1-6
“Jesus estendeu a mão e o homem foi curado.”
Jesus é inflexível ao opor-se à observância desumana que torna o sábado superior ao homem. Ele apresenta como critério o bem das pessoas: “fazer o bem e dar a vida.”


Memória de Santa Inês, jovem mártir romana de cerca de doze anos que, segundo Santo Ambrósio, deu testemunho duplo de Cristo, tanto por sua castidade como por sua fé, no final do século III.


“Para enamora-se Deus de uma alma, não olha a sua grandeza, mas a grandeza de sua humildade.”
S. João da Cruz – D 101


Carta de Santa Teresa em 21 de janeiro

1577 – C.173 – à Madre Maria Bautista, Priora de Villadolid – Profissão de Casilda de Padilla. A licença de Roma . Nas aspirantes prefere as qualidades ao dote. Projeto de fundação de Descalças em Aguillar de Campóo.

Liturgia - 20 de janeiro - 3ª-FEIRA DA 2ª SEMANA DO TEMPO COMUM

São Fabiano, Papa e Mártir – Mfac
São Sebastião, Mártir – Mfac
Cor litúrgica: verde
Ofício do dia de semana do tempo comum
Liturgia das Horas: 1194-1600-799
Oração das Horas: 1173-1509-879
Leituras: Hb 6,10-20 – Sl 110(111) – Mc 2,23-28

“O sábado foi feito para o homem e não o homem para o sábado.”
A libertação que Jesus nos traz engloba toda a realidade humana, social e espiritual, inclusive a libertação dos escravismos religiosos.

São Fabiano, papa, foi decapitado em 250 durante a perseguição de Décio. Contribuiu para a evangelização da Gália.
São Sebastião, Capitão da Guarda Pretoriana, foi condenado a ser trespassado por flechas. Seu culto conhece grande popularidade desde o século VI. É o padroeiro da cidade do Rio de Janeiro.

“Efetivamente, se o homem não desprendesse o coração de todo o gozo de bens temporais puramente por amor de Deus e dos deveres da perfeição cristã, devê-lo-ia fazer pelas vantagens temporais e mais ainda espirituais que disto lhe advêm.”
S. João da Cruz – 3S 20,2

“Jamais se peca sem sabê-lo.”
Santa Teresa de Jesus

domingo, 18 de janeiro de 2009

Liturgia - 19 de janeiro - 2ª FEIRA DA 2ª SEMANA DO TEMPO COMUM

Cor Litúrgica: Verde
Leituras: Hb 5, 1-10 – Sl 109(110) – Mc 2,18-22
Liturgia das Horas: 778 – Oração das Horas: 865

“O jejum”

A questão não é jejuar ou deixar de jejuar. Para Jesus, o que vale sempre é uma atitude nova que acolha o essencial.

“Para chegares a saborear tudo, não queiras ter gosto em coisa alguma.”
São João da Cruz

“...quando minha mãe morreu... fui aflita a uma imagem de Nossa Senhora e supliquei-lhe fosse minha mãe. Conhecidamente encontrei esta Virgem soberana enquanto me recomendei a Ela.” Santa Teresa de Jesus – V 1,7

sábado, 17 de janeiro de 2009

Liturgia - 18 de janeiro - 2º DOMINGO DO TEMPO COMUM


Cor Litúrgica: Verde

Leituras (Ano B): Sm 3,3b-10.19 – Sl 39(30)–1Cor 6,13c-15a.17-20 – Jo 1,35-42
Liturgia das Horas: 759 – Oração das Horas: 853


“E, avistando Jesus que ia passando, disse: `Eis o Cordeiro de Deus´.”
O homem, ao nascer, desperta para o desafio e missão de transformar a própria vida numa plenitude, chamada Deus. O caminho para se chegar a ele é por Jesus.

“É manso quem sabe suportar o próximo e tolerar-se a si mesmo.”
São João da Cruz - D 174

“O Senhor conduz as almas por diversas vias, mas sempre ficai receosos quando não sentis mágoa diante duma falha que vos ocorra cometer, pois é certo que o pecado, mesmo venial, deve penetrar de dor até as profundezas da alma.” ­ Santa Teresa de Jesus

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Zélie e Louis Martin: filhos não são propriedade dos pais

Entrevista com o Pe. Antonio, vice postulador da causa de beatificação dos pais de Santa Teresinha

Por Carmen Elena Villa
CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 15 de janeiro de 2009 (ZENIT.org).-

As relíquias dos pais de Santa Teresinha do Menino Jesus estão viajando por diferentes cidades da Itália. Estiveram na basílica de São Pedro, em Roma, desde o sábado passado até hoje, quarta-feira.

Bento XVI, em uma carta de preparação do VI Encontro Mundial das Famílias, apresenta Marie Zélie Guérin (1831-1877) e Louis e Martin (1823-1894) como «modelos exemplares de vida cristã para as famílias de hoje».

O Pe. Antonio Sangalli, vice-postulador da causa de canonização dos esposos, beatificados em 19 de outubro passado em Lisieux (França), acompanha sempre estas relíquias.

O milagre para a beatificação desse casal se deu em 2002. Consistiu na cura inexplicável do pequeno Pietro Schiliro, que sofria de uma grave má formação congênita no pulmão. Seus pais, Valter e Adele, pediram aos esposos Zélie e Louis que intercedessem pelo pequeno, graças a um conselho deste sacerdote carmelita, que alguns dias antes tinha batizado o Pietro, segundo o ritual romano de perigo de morte.

Esta é a entrevista que o Pe. Sangalli concedeu à Zenit:

– Como começou sua aproximação dos esposos Zélie e Louis?

– Pe. Sangalli: Foi puramente «por acaso». Passei a Valter e a Adele a oração aos pais de Santa Teresinha porque estavam desesperados, para que tivessem a força e o valor para entender aquele momento difícil. Eu lhes havia aconselhado que rezassem, quando me chamaram para batizar o Pietro. Aconselhei-lhes que se confiassem à intercessão desses pais, Zélie e Louis, que haviam perdido quatro filhos e haviam encontrado a valentia para dar este passo dificílimo. Eu não rezava pela cura do menino. Deus nos concedeu muito mais do que estávamos lhe pedindo. Eu pedia só que o pai e a mãe encontrassem a força e acompanhassem com afeto e amor este menino até a morte. Então, quando depois ocorreu o milagre, os pais me pediram que fosse o vice-postulador do milagre. Eu pedia que este pai e esta mão não perdessem a cabeça. Deste modo,eu me converti no vice-postulador «por acaso», pelo fato de que aconteceu este milagre.

– Antes da cura de Pietro, você tinha alguma devoção especial pelos esposos Martin?

– Pe. Sangalli: Eu me interessava por eles por serem os pais de Santa Teresinha; sabia que se havia aprovado o heroísmo das suas virtudes, mas minha intenção era a de ajudar através do exemplo destes dois pais que haviam perdido quatro filhos, para que não se desesperassem. Dirigi-me a eles só por este fato, não por outro motivo.

– O que você acredita que os esposos Martin podem dizer às famílias de hoje?

– Pe. Sangalli: Neste casal eu posso admirar muitos aspectos. Um deles é o que o Santo Padre destacou em 11 de janeiro, ao batizar 13 crianças na Capela Sistina, quando dizia que os filhos não são propriedade dos pais. Eles viveram isso perfeitamente.

– Quais são as virtudes que você mais admira dos esposos Martin?

– Pe. Sangalli: Eles haviam perdido quatro filhos, mas não por isso se sentiam como donos da vida, do futuro, do destino dos demais filhos. Sentiam que eram colaboradores de Deus neste desígnio, oferecendo a dor e o sofrimento, implorando ao Senhor. «Somos esposos, somos colaboradores com Deus na vida, ministros e servos». E isso é muito fortes. Jamais se sentiram como proprietários dos filhos. Não impuseram nada aos filhos. Os exemplos que estes filhos vislumbraram nos pais foi um estímulo para sua escolha de vida, porque viam que o pai e a mãe viviam uma experiência conjugal cristã radical.
-
Fonte: Zenit
-

Liturgia - 17 de janeiro - SANTO ANTÃO

VIVENDO DIA A DIA COM SANTA TERESA DE JESUS E SÃO JOÃO DA CRUZ


Cor litúrgica: branca
Leituras: Hb 4, 12-16 – Sl 18(19) – Mt 19, 16-26
Laudes: Liturgia das Horas: 1189-1735-741 – Oração das Horas: 1172-1571-842
I Vésperas: Liturgia das Horas: 749 - Oração das Horas: 848

“Segue-me. Levi o seguiu.”
Jesus chama um coletor de impostos para fazer parte do grupo dos Doze. O povo desprezava coletores de impostos por causa do seu contato com os pagãos, da sua colaboração com os romanos e da suspeita de que obtivessem lucros desonestos.

Memória de Santo Antão. Seguindo o conselho evangélico, distribuiu aos pobres tudo o que possuía para seguir a Cristo no deserto do Egito, onde as tentações do demônio não lhe foram poupadas. Atraiu uma multidão de discípulos e mereceu tornar-se “Pai dos monges cristãos”. Morreu em 356, no alto da montanha ao pé da qual se situa o mosteiro que traz o seu nome. É festejado, neste dia, pelos Orientais coptas, sírios e bizantinos.

“Assim, o espírito já perfeito nada mais recebe do sentido nem faz caso dele; não usa desse meio para se comunicar com Deus e de fato há mister servir-se disso, como o fazia antes de haver crescido no espírito.”
São João da Cruz – 2S 17,6

Cartas de Santa Teresa em 17 de janeiro

1570 – C.25 – a Dom Lorenzo, em Quito – Alegra-se com a próxima viagem de Dom Lorenzo à Espanha. Dá-lhe notícias dos Conventos fundados até aquela data. Docilidade que encontrará em Ávila para educação de seus filhos. Agradece o dinheiro chegado em ocasião oportuna. Santa morte da esposa de Dom Lorenzo.
1577 – C.171 – a Dom Lorenzo de Cepeda, em Ávila – As sardinhas e os confeitos chegaram bem. A obediência de Dom Lorenzo à Santa em coisas espirituais. Não quer arroubos em público. Conselhos a Dom Lorenzo sobre a oração e o uso do cilício.
1577 – C.172 – à Madre Maria de São José, Priora de Sevilla – A rica postulante que pretendia o hábito das Descalças de Sevilla. Procedimento das Descalças para reforma do Convento de Paterna

...............................
Organizado por Dyonísio da Silva

Liturgia - 16 de janeiro - 6a-FEIRA DA 1a.SEMANA DO TEMPO COMUM

VIVENDO DIA A DIA COM SANTA TERESA DE JESUS E SÃO JOÃO DA CRUZ

Cor Litúrgica - Verde
Ofício do dia de semana
Leituras: Hb 4,1-5.11 – Sl 77(78) – Mc 2, 1-12
Liturgia das Horas: 720 – Oração das Horas: 828

“Quem pode perdoar pecados senão somente Deus?”
Ao longo de sua existência, Jesus mostrou-nos a totalidade da libertação cristã.

“Apressai-vos desde o princípio a aplicar o remédio, porque, se o mal tiver tempo de crescer no coração, tarde virá a medicina.” - São João da Cruz – 3S 22,6

Cartas de Santa Teresa em 16 de janeiro

1578 – A Dom Teotônio de Bragança – Felicita-o por sua eleição ao espiscopado e anima-o a trabalhar pela Igreja. Resume as perseguições contra a Descalcez. As pobres monjas da Encarnação. São Juan de La Cruz.
1582 – C.413 – à Dona Catalina de Tolosa, em Burgos – Próxima chegada a Burgos. Antes de mais nada visitarão o Santo Cristo e hospedar-se-ão depois em casa de Dona Catalina. Leva consigo uma filha de Dona Catalina, Monja de Villadolid. Vão oito irmãs.

.......................................
Organizado por Dyonísio da Silva

Liturgia- 15 de janeiro - 5ª-FEIRA DA 1ª SEMANA DO TEMPO COMUM

VIVENDO DIA A DIA COM SANTA TERESA DE JESUS E SÃO JOÃO DA CRUZ

Cor litúrgica: Verde
Ofício do dia de semana
Leituras: Hb 3, 7-14 – Sl 94(95) – Mc 1, 40-45
Liturgia das Horas: 701 – Oração das Horas: 814

“Se queres, podes limpar-me.”
Reconheçamos que todos nós, de algum modo, temos nossas enfermidades que precisam ser curadas também.

“Assim Deus aperfeiçoa o homem conformando-se à sua condição, isto é, conduzindo-o pouco a pouco das coisas mais baixas e exteriores às mais altas e interiores.”- São João Cruz - 2S 17,4

Carta de Santa Teresa em 15 de janeiro

1580 – C.314 – ao Padre Gracián em Alcalá – Um descalço cujos sermões agradam a Santa. Oxalá houvesse muitos de igual valor! Dificuldades em achar Superioras para as fundações projetadas.

................................
Organizado por Dyonísio da Silva

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Liturgia - 14 de janeiro - 4ª-FEIRA DA 1ª SEMANA DO TEMPO COMUM

VIVENDO DIA A DIA COM SANTA TERESA DE JESUS E SÃO JOÃO DA CRUZ

Cor litúrgica: Verde
Ofício do dia de semana
Leituras: Hb 2, 14-18 – Sl 104(105) – Mc 1, 29-39
Liturgia das Horas: 682 – Oração das Horas: 801

“Vamos a outros lugares.”
O poder de Jesus levanta qualquer homem de seu estado de prostração, para encaminhá-lo sobre a senda do serviço.

“Deus é a luz e objeto da alma, se esta luz não a ilumina fica a alma às escuras mesmo que tenha a melhor vista.”- São João da Cruz –mCh 3,70

Carta de Santa Teresa em 14 de janeiro

1580 – C.313 – ao Padre Jerônimo Gracián, em Alcalá – Alegria das Descalças por verem o Padre Gracián livre de seus inimigos. Pequenos ciúmes sem fundamento.
..................................
Organizado por Dyonísio da Silva

ORAÇÃO PELAS FAMÍLIAS


Deus nosso, Trindade indivisível,
Tu criastes o ser humano “a tua imagem e semelhança”
e o formastes admiravelmente como homem e mulher para que,
unidos entre si e em colaboração recíproca no amor,
cumprissem teu projeto de “ser fecundos e dominar a terra";
Te pedimos por todas as nossas famílias para que,
encontrando em ti seu modelo e inspiração inicial,
que se manifesta plenamente na Sagrada Família de Nazaré,
possam viver os valores humanos e cristãos
que são necessários para consolidar e sustentar a vivência do amor
e sejam fundamento para a construção mais humana
e cristã de nossa sociedade.
Te pedimos pela intercessão de Maria, Nossa Mãe e de São José.
Por Jesus Cristo Nosso Senhor.
AMEM.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Liturgia - 13 de janeiro - 3ª-FEIRA DA 1ª SEMANA DO TEMPO COMUM

VIVENDO DIA A DIA COM SANTA TERESA DE JESUS E SÃO JOÃO DA CRUZ


Cor litúrgica - Verde
Ofício do dia de semana
Santo Hilário, Bispo e Doutor – Mfac
Leituras: Hb2,5-12 – Sl 8 – MC 1,21b-28
Liturgia das Horas: 663 – Oração das Horas: 789

“Todos se maravilhavam de sua doutrina e ensinava como quem tem autoridade.”
As palavras de Jesus eram a expressão de seu íntimo relacionamento com Deus e de seu profundo conhecimento do homem.

Memória de Santo Hilário, bispo de Poitiers e Doutor da Igreja, que por seus escritos doutrinários e sua autoridade pastoral salvou a Gália da heresia ariana, condenada pelo Concílio de Nicéia. Adormeceu no Senhor em 368, e seu corpo foi sepultado em Poitiers.

“... ordinariamente, sucede muitas almas não terem diligência para progredir na perfeição: e a causa disto são os apetites e afeições conservados e o não terem a Deus puramente por objetivo” - S. João da Cruz - 1S 11,4

Cartas de Santa Teresa em 13 de janeiro

1580 – C.311 – ao Pe. Nicolao de Jesus Maria (Dória), em Sevilla – Lamenta perda de cartas. Vai-se restaurando no espiritual e temporal a comunidade de Malagón. Aconselha uma entrevista do Padre Doria com Velasco.
1580 – C.312 – às Descalças de Sevilla – Felicitações por diversas tomadas de hábito e profissões. Conselho às religiosas. Procurem amar-se muito umas às outras.
.........................................
Organizado por Dyonísio da Silva

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Liturgia - 12 de janeiro - 2ª-FEIRA DA 1ª SEMANA DO TEMPO COMUM

VIVENDO DIA-A-DIA COM SANTA TERESA DE JESUS E SÃO JOÃO DA CRUZ

Ofício do dia de semana – I Semana do Saltério
Leituras: Hb 1,1-6 – Sl 96(98) – Mc 1,14-20
Liturgia das Horas: 641 - Oração das Horas: 776

TEMPO COMUM

Toma-se o III volume da Liturgia das Horas

O Tempo Comum começa no dia seguinte à celebração da festa do Batismo do Senhor e se estende até a terça-feira antes da Quaresma, inclusive. Recomeça na segunda-feira depois do domingo de Pentecostes e termina antes das Primeiras Vésperas do 1º. Domingo do Advento (cf. NALC 44). O tempo comum – o maior do ano litúrgico – nos possibilita desfrutar de outros aspectos da vida e da missão de Jesus e seus discípulos que não são contemplados nos ciclos do natal e da páscoa.

“Fazei penitência e crede no Evangelho.”
O contexto da pregação de Jesus sobre o reino de Deus equivale a permitir que Deus seja Deus, reconhecê-lo como a realidade que tudo determina.

Foi verdadeiramente `ditosa ventura´ para a alma ter-se deixado levar por Deus nesta noite na qual lucrou tantos bens.Seria incapaz de nela entrar com os próprios esforços, pois é bem difícil acertar alguém a desprender-se por si mesmo de todos os apetites, para chegar à união com Deus.” (São João da Cruz - 1S 5.)

“Quando o coração reza, Ele sem dúvida nos atende.” (Santa Teresa de Jesus)

...........................................

Organizado por Dyonísio da Silva

domingo, 11 de janeiro de 2009

Liturgia - 11 de janeiro - DOMINGO - BATISMO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

VIVENDO DIA-A-DIA COM SANTA TERESA DE JESUS E SÃO JOÃO DA CRUZ

BATISMO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO – Branco
Ofício festivo próprio

Leituras: Is 42,1-4.6-7 – Sl 28(29) – At 10,34-38
Liturgia das Horas: 576-620-577 – Oração das Horas: 265-764-266

Eu vos batizei com água; ele, porém, vos batizará no Espírito Santo.”
O Espírito que foi derramado no dia do nosso batismo, arde em nós e nos aquece, tornando-nos capazes de assumir todas as esperanças humanas.

Festa do Batismo do Senhor: dia em que a autoridade divina da missão do Verbo Encarnado foi declarada pelo Pai, consagrada pelo Espírito e atestada por João Batista. O batismo nos mergulha no mundo e nos faz irmãos de cada ser humano e nos convoca a lutar por uma humanidade melhor e por uma sociedade mais justa e fraterna, sempre cheio de esperança para criar um mundo sempre melhor.

“O primeiro destes proveitos é tomar a alma uma atitude mais comedida e respeitosa em suas relações com Deus, como sempre se requer no trato com o Altíssimo.”- S. João da Cruz – IN 12,3
......................................
Organizado por Dyonisio da Silva

sábado, 10 de janeiro de 2009

LITURGIA - 10 de janeiro - SÁBADO DO TEMPO DO NATAL DEPOIS DA EPIFANIA


VIVENDO DIA-A-DIA COM SANTA TERESA DE JESUS E SÃO JOÃO DA CRUZ



Ofício do dia de semana do Tempo do Natal
Memória de Nossa Senhora no Sábado
Leituras: 1 Jo 5,14-21 – Sl 149 – Jô 3,22-30
Laudes: 492-781-562 – Oração das Horas: 238-932-261
I Vésperas: Liturgia das Horas: 564-496-566 – Oração das Horas: 263-235-264



“Nisso consiste a minha alegria: importa que ele cresça e que eu diminua.”
Diante do aparecimento de Jesus, João Batista deve desaparecer. É somente dessa forma que se cumpre adequadamente a missão de João Batista.

“O que pretendes e o que mais desejas não o conseguirás por esse teu caminho nem pela alta contemplação, mas sim em muita humildade e submissão de coração.” - S. João da Cruz - D 38
-----------------
Organizado por Dyonísio da Silva

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Paulinho, feliz aniversario!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Conte com nossas orações!!

Comunidade Santa Teresinha de Passos.




Paulinho
Feliz aniversário!
Neste dia...
Que só as emoções mais profundas te acompanhem onde quer que esteja, pois este é e será um dia especial. Fazem alguns anos que preenches este universo. E com a graça de Deus, só irradia alegrias, deixando sempre saudades por onde quer que passe.
Quando estamos com você, nos sentimos felizes.
Ser uma pessoa assim como tu és, faz valer apena ter amigos e compartilhar com eles nossos momentos,
Que este dia renasça em ti toda a força espiritual e física para que continues nos renovando. Porque tu és um canal de amor e alegria.
Te amamos e rezamos para que os anjos te retribuam tudo o que de bom tens nos dado.
Você é especial.
PARABÉNS PARA VOCÊ NESTA DATA QUERIDA...

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

05 de janeiro - Dia do nascimento da Irmã Maria de Jesus Crucificado

Nascida em Abellin, Galiléia, perto de Belém em 05 de Janeiro de 1846.
Faleceu em Nazaré em 26 de Agosto de 1878.

A carmelita dos dons extraordinários.

O nascimento de Mirian foi cercado de prodígios. Seus pais, depois de muitos anos de casados, alimentavam o desejo de ter filhos. Árabes, profundamente católicos, do rito Grego-católico, de fé inquebrantável, em uma peregrinação que fazem a Belém, pedem a São Jose, de quem eram grandes devotos, a graça de ter filhos. Nosso Grande Santo lhes dá a graça de ter, não um, mas dois filhos: Miriam e Paulo.
Mirian nasce em 05 de janeiro, véspera da Epfania (festa dos Santos Reis Magos), dia em que se trocam presentes na Galiléia (não no Natal), assim Mirian vem como um presente dos céus aos seus pais.
Aos três anos de idade, já órfã, Mirian vai com os tios para o Egito, separando-se assim de seu irmãozinho, a quem nunca mais vê. Logo depois de sua primeira comunhão, começam lhes ocorrer sinais extraordinários. Ainda morando com seus tios no Egito, uma vez lhes deram alguns peixes envenenados, Mirian logo alertou a todos sobre o veneno, ao que não lhe dão crédito. A insistência de Mirian faz com que dêem um pouco de peixe para um cachorro comer, para tirarem à prova, o pobre animal caiu morto; assim, todos vão descobrindo que Mirian possui algo de sobrenatural.
À medida que cresce, Mirian vai alimentando em si um desejo muito grande de consagrar-se a Deus; todavia, os tios comprometem-na em casamento. Não querendo casar-se, de forma alguma, Mirian corta o cabelo, o que para os costumes de sua comunidade é uma afronta à família do noivo. Assim, ela se livra do compromisso, mas não do desagrado dos tios, que tornam sua permanência com eles insuportável.
Uma família mulçumana, amiga de Miriam, a acolhe em sua casa; entretanto, logo tentam persuadi-la de que os cristãos são maus e a mudar de religião. Mirian, porém, afirma, categoricamente, sua fé em Jesus Cristo, único e Verdadeiro Deus. Essa noticia se espalha e um jovem mulçumano encolerizado pelas afirmações de Mirian, ataca-a e com um golpe de adaga corta-lhe a garganta profundamente; tendo-a por morta, atiram-na em um descampado fora da cidade.
Isso aconteceu no dia 7 de setembro de 1858, quando Mirian tinha 12 anos. Sobre esse fato, ela mesma conta: - “Estando morta, fui ao cé;u, onde me encontrei com a Virgem Maria, os anjos e os santos me receberam com grande amabilidade, e meus pais estavam também lá. Vi o brilhante trono da Santíssima Trindade e Jesus em sua humanidade, não havia sol, nem lâmpadas, pois tudo brilhava como luz. Logo alguém me falou que meu livro ainda não tinha sido totalmente escrito”.
Ao voltar a si, viu que estava em uma gruta, sendo cuidada por uma mulher vestida de azul, que profetizou que primeiro Mirian seria filha de São José, depois de Santa Teresa de Jesus. Mirian reconheceu que a mulher de azul era, de fato, a Virgem Maria.
A cicatriz em sua garganta foi, posteriormente, examinada por um médico de prestigio, que afirmou à mestra de noviças que, humanamente falando, seria impossível sobreviver a tal ferimento.
Mirian entra na Congregação das Irmãs de São José da Aparição em 1865, em Marselha - França; todavia, dois anos depois, sendo ainda postulante, devido aos dons sobrenaturais que possuía, as irmãs, suas formadoras, julgaram ser mais apropriado que ela estivesse recolhida em um mosteiro de contemplativas, encaminham-na para o Carmelo de Pau - França, em 27 de julho de 1867..
Cumpre-se assim a profecia da Senhora de Azul.
No Carmelo professa como irmã leiga, antes do Concílio Vaticano II, no Carmelo havia o costume de contar com as irmãs que ficavam responsáveis pelos trabalhos “braçais”, por opção ou porque tinham poucos estudos. Elas eram identificadas pelo uso do véu branco, mesmo não sendo mais noviças. Seu nome no Carmelo será Maria de Jesus Crucificado.
Todos se impressionavam com a humildade de Irmã Maria de Jesus Crucificado, e os dons extraordinários que Deus lhe dotou, êxtase, rapto, visões, profecia, bilocação, cura, levitação, visões, além de ter recebido a graça dos estigmas de Nosso Senhor.
Desde muito pequena, Mirian vê e conversa com seu anjo da Guarda, a ponto de chamá-lo de João Jorge.
Em agosto de 1870, Irmã Maria parte para o que será sua primeira fundação carmelita, fará parte da primeira comunidade de um Carmelo na Índia, mas devido aos seus dons extraordinários retorna dois anos depois a Pau - França.
Nosso Senhor, no entanto, lhe pede para fundar um Carmelo na Terra Santa, em Belém, revelando-lhe os detalhes da obra, local, medidas, etc. e dando-lhe todas as condições materiais para realizá-lo. Assim, em 1876, quatro anos após ter regressado da Índia, funda o primeiro Mosteiro Carmelita Descalço na Terra Santa, em Belém.
Tinha projeto de construir mais um mosteiro na Terra Santa, em Nazaré; todavia, trabalhando na construção do mosteiro de Belém, caiu ao transportar argamassa, machucando o braço que gangrenou, levando-lhe à morte, em 26 de agosto de 1878.
Sua vida de entrega a Deus foi tão grandiosa, que mesmo em sua humildade e simplicidade, falava das coisas de Deus como se fosse um grande teólogo, principalmente sobre a Santíssima Trindade.
Irmã Maria de Jesus Crucificado foi beatificada por João Paulo II no dia 13 de Outubro de 1983.
Peçamos a Deus pela sua canonização!

Fonte: Comunidade Santa Teresa


-

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

PENSAMENTOS - SANTA TERESA

Feliz Olhar Novo



O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho da sua história. O grande lance é viver cada momento como se a receita da felicidade fosse o AQUI e o AGORA.Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o pneu fura, chove demais... mas, pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia?
Tem sentido ficar chateado durante o dia todo por causa de uma discussão na ida pro trabalho? Quero viver bem. 2008 foi um ano cheio.
Foi cheio de coisas boas e realizações, mas também cheio de problemas e desilusões.Normal! Às vezes se espera demais das pessoas. Normal! Grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor machucou.Normal! 2009 não vai ser diferente.
Muda o século, o milênio muda, mas o homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas e aí?Fazer o quê?Acabar com seu dia? Com seu bom humor?Com sua esperança? O que eu desejo para todos nós é sabedoria! E que todos saibamos transformar tudo em uma boa experiência!
Que todos consigamos perdoar o desconhecido, o mal educado. Ele passou na sua vida. Não pode ser responsável por um dia ruim...
Entender o amigo que não merece nossa melhor parte. Se ele decepcionou, passe-o para a categoria 3, a dos amigos.Ou mude de classe, transforme-o em colega. Além do mais, a gente, provavelmente, também já decepcionou alguém.
O nosso desejo não se realizou? Beleza, não tava na hora, não deveria ser a melhor coisa pra esse momento (me lembro sempre de um lance que eu adoro: CUIDADO COM SEUS DESEJOS, ELES PODEM SE TORNAR REALIDADE.
Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano.Não adianta lutar contra isso.Mas se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam diferentes.
Desejo para todo mundo esse olhar especial. 2009 pode ser um ano especial, muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso.
Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro. 2009 pode ser o máximo, maravilhoso, lindo, espetacular... ou... Pode ser puro orgulho!
Depende de mim, de você! Pode ser. E que seja!!!
Feliz olhar novo!!!
Que a virada do ano não seja somente uma data, mas um momento para repensarmos tudo o que fizemos e que desejamos, afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos jus e acreditarmos neles!"


(Carlos Drumond de Andrade)

Frei Carlos Mersters convida para encontro com Maccise

Queridos irmãos e irmãs da Família Carmelitana,

Nos dias 26 a 30 de janeiro de 2009, a Província Carmelitana de Santo Elias realizará a sua Assembléia anual. O tema escolhido foi "O significado do Documento da Assembléia de Aparecida para nós Carmelitas".

O assessor que nos ajudará no aprofundamento deste temaserá o frei Camilo Maccise, Carmelita Descalço do México."

Frei Camilo Maccise foi Superior Geral dos Carmelitas Descalços durante doze anos. Durante vários anos, foi presidente da União dos Superiores Gerais em Roma. Teve participação ativa na realização do Projeto Palavra-Vida. Foi assessor no encontro dos Carmelitas Descalços, realizado no mês de Outubro de 2007, sobre o tema: "O Documento de Aparecida e o seu alcance para a Espiritualidade Carmelitana".

Frei Camilo fala português. Ficamos muito gratos por ele ter aceito o nosso convite. Ninguém melhor do que ele para nos ajudar no estudo do tema "O significado do Documento da Assembléia de Aparecida para nós Carmelitas". Os dias 26 a 29 serão dedicados ao estudo deste tema.

Por tratar-se de um assunto do interesse de todos nós, o Conselho da Província resolveu abrir esta primeira parte da Assembléia, na qual o frei Camilo estará conosco, para toda a Família Carmelitana.

Assim todos e todas estão sendo convidados a participar deste evento nos dias 26 a 29 de janeiro, com a chegada prevista para o jantar de 2ª feira, dia 26, e término para o almoço de 5ª feira, dia 29. O encontro será realizado na Casa de Retiros São José dos Padres Redentoristas, Belo Horizonte. A diária é de 65 Reais.

Estão convidados a participar os frades Carmelitas das três províncias, os frades Carmelitas Descalços, as irmãs Carmelitas das várias Congregações e representantes dos leigos e leigas carmelitas.

Pede-se para fazer as inscrições pela secretaria do Centro Carmelitano de Espiritualidade: irmã Maria de Fátima Carvalho,secretariacce@yahoo.com.br - telefone do Centro: (011) 3146.4523 ou da recepção do Convento (011) 3146.4500.

Um grande abraço para todos e todas e que Nossa Senhora do Carmo lhes consiga copiosa benção da parte de Jesus, seu filho, em cujo obséquio procuramos viver.

Pelo Conselho da Província

frei Carlos Mesters, OCarm

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...