terça-feira, 17 de outubro de 2017

Frei Antônio Perin



Ao querido frei Antônio Perim, Sinto-me também entre seus amigos próximos, pela presença dele em minha família, em nossa comunidade, e nos recebendo com carinho, na casa em que estivesse morando. Com atos e palavras, de talento gourmet irresistível para o paladar e o alimento do corpo, harmonizada com o zelo sábio e proveitoso das coisas de Deus, para nossa alma.
Fica um misto de dor, saudade antecipada, e esperança... Nesse tipo de noite escura de fé, a esperança da comunhão diária e mistérica entre todos os santos, enquanto não se nos rompe definitivamente a tela do doce encontro, no amor eterno.
...Parece que Santa Teresinha buscou a um, para subir pela pequena via, e Santa Teresa buscou a outro, para ultrapassar a sétima morada neste mundo, e atingir as muitas moradas da Casa do Pai.

Marcelo Esper Piotto,ocds- Comunidade Santa Teresinha de Passos- MG

domingo, 15 de outubro de 2017

Vida centrada na humanidade de Cristo

(AlmaCarmelita)

Celebramos neste dia Santa Teresa de Jesus. A cada ano que a Igreja celebra seus santos, traz com eles, sua missão e seu testemunho diante de Deus e do mundo, para a Igreja e para aqueles a quem se tenha destinado esta mesma missão, e que como filhos se fazem agradecer, louvar e bendizer, contando com os seus rogos a Deus e à Santíssima Virgem Maria. 

Aqui estamos nós hoje, filhos da Igreja, filhos do Carmelo, filhos de Teresa, a agradecê-la por tão sólida doutrina, com tão clara vivência da fé, capaz de difundir ao longo destes cinco séculos, a graça do conhecimento de Deus. Graça que se traduz em vida, vida que se faz centrada na humanidade de Cristo. E conhecimento tecido por uma vida íntima com Deus através da oração, e do testemunho evangélico. Assim estamos nós, filhos de Teresa.

Filhos de ontem e de hoje, que atualizam nos seus ensinamentos suas próprias vidas, e se reconhecem através de sua determinação e entrega ao chamado de Deus, e permanecem a viver e a contar com sua maternal intercessão. Filhos que aprendem, continuamente, a prática das virtudes, e a exercitam na caridade e na humildade. Filhos que na oração ou no serviço, fazem um caminho pessoal e comunitário, na Igreja, no Carmelo e na família. 

A Santa Madre Teresa agradecemos o caminho seguro e fiel do encontro com Deus. Dela nos aconselhamos e ouvimos que a perfeita oração se faz na HUMANIDADE DE CRISTO, e que deve ser caminho para chegar à mais alta contemplação, partindo da humildade e do desapego daqueles que vão além do que o mundo ofecece, para ser aquilo que o mundo precisa. E dela deixamos o conselho para este dia: "Uma coisa quero dizer, segundo julgo, importante; se parecer bem a ti, servirá de aviso, pois poderá ser que lhe seja útil. Nalguns livros que tratam de oração, diz-se: que embora a alma não possa por si chegar a este estado, porque tudo quanto o Senhor opera nela é obra sobrenatural, ela poderá contudo ajudar-se, levantando o espírito de tudo o criado e elevando-o com humildade (...)porque, segundo dizem, embora seja a Humanidade de Cristo, embaraça ou impede, nos que vão já tão adiante, a mais perfeita contemplação. Trazem, a este propósito, o que o Senhor disse aos Apóstolos quando da vinda do Espírito Santo, digo, quando subiu aos Céus. Parece-me que, se eles tivessem então a fé que tiveram depois da vinda do Espírito Santo e cressem que o Senhor era Deus e Homem, não lhes seria impedimento - para a mais alta contemplação - o pensar na Sagrada Humanidade; pois isto não foi dito à Mãe de Deus, ainda que O amasse mais que todos." (V 22,1)

Obrigada, Santa Madre!

Rogai a Deus por nós!

Salve Santa Teresa de Jesus!

Estela Márcia - Grupo São José, Petrópolis/RJ.

15/10 - Solenidade Santa Teresa de Jesus, nossa Mãe





Teresa de Ahumada nasceu no dia 28 de Março de 1515. De entre os seus 11 irmãos, Teresa evidenciou ser a mais inteligente e agradável no trato, daí a mais querida de seus pais. 

Desde criança se imprimiu no seu espírito um forte desejo do Céu e da eternidade. Com apenas 13 anos perdeu a mãe. A partir daí foi junto de uma imagem de Nossa Senhora, na sua igreja paroquial, pedindo-lhe que fosse a sua mãe. Ao entrar na adolescência e juventude, órfã de mãe, Teresa sente-se um pouco desorientada e, com os seus primos, perde-se em futilidades e vaidades próprias da idade, inspiradas pelos romances que adorava ler. 

O seu pai viu-se obrigado a interná-la no Colégio de Irmãs de Nossa Senhora da Graça. Uma jovem freira da comunidade, de quem Teresa se tornou amiga, foi a sua então educadora e ajudou-a a redescobrir os grandes valores humanos e cristãos. Começou a pensar na possibilidade de vir a ser também ela religiosa, e decidiu entrar no convento de Nossa Senhora da Encarnação, das carmelitas, onde já se encontrava uma das sumas amigas, Joana Soares. O seu pai não esteve de acordo, mas Teresa insistiu e ingressou neste convento de clausura, embora lhe custasse muito separar-se da casa paterna. 

Depois da Profissão Religiosa, foi atingida por uma estranha e grave doença que a levou às portas da morte, ao ponto de se ter preparado a sepultura no cemitério do convento. O seu pai não desiste e acredita na recuperação de Teresa, encomenda-a a S. José e, passados quatro dias, sai dum coma profundo. Desde então, tornou-se grande devota de S. José, devoção que depois legou a todo o carmelo reformado. 

Teresa conheceu os segredos de Deus que lhe eram transmitidos pela oração. Recorreu aos melhores teólogos do seu tempo para que a ajudassem no seu itinerário orante e contemplativo. Entre os quais encontra-se S. João da Cruz, S. Francisco de Borja, S. Pedro de Alcântara, S. João de Ávila e outros de grande fama no seu tempo. Um dia ouviu a voz do Senhor que lhe dizia: «Já não quero que tenhas conversas com homens, mas com anjos». Deus revelou-lhe verdades e incutiu-lhe grandes desejos de santidade e de serviço à Igreja. 

Quando a Igreja, por causa dos protestantes, proibiu as edições da Bíblia em língua que não fosse o latim, Teresa sentiu muita pena e ouviu Cristo que lhe disse: «Não te preocupes. Eu serei o teu livro vivo». Por esta altura, sentiu o impulso que a inspirava a renovar a Ordem do Carmo. Assim, passando por muitos sofrimentos e sempre com a ajuda de Deus, fundou o primeiro convento, o de S. José de Ávila, da nova família das carmelitas descalças. Nas obras do seu primeiro convento, muito a ajudaram amigos e familiares. Foi inaugurado a 24 de Agosto de 1562, dia em que Teresa se descalçou, mudou de hábito e começou a chamar-se Teresa de Jesus. 
A cidade de Ávila quis destruir o convento por não concordar com a reforma por ela iniciada e por já existirem muitos nesta cidade abulense. Mas quando Deus quer e o homem colabora, nenhuma oposição faz parar uma boa obra. A sua segunda fundação foi em Medina del Campo, onde conheceu S. João da Cruz, ficando encantada com ele e pedindo-lhe que fosse o primeiro carmelita descalço. 

Em 1571, foi nomeada pelos superiores, prioresa da comunidade onde havia estado, a do Convento da Encarnação. Começou o seu mandato colocando as chaves do convento nas mãos duma imagem de Nossa Senhora do Carmo, a quem colocou na cadeira priorial, e Teresa a seus pés. Assim conquistou a simpatia da comunidade de quase 200 freiras, até então enfurecida com as suas aventuras. É aqui, neste mesmo lugar, que um dia ouviu o Senhor dizer-lhe: «Teresa, se não tivesse criado o Céu, para ti e por tua causa o criaria agora». 
Durante o seu priorato na Encarnação, chamou para Ávila S. João da Cruz, reconhecendo-o como o único capaz de a ajudar naquela difícil empresa, fazendo dele o confessor do convento. Quando o apresentou à comunidade disse: «Irmãs, trago-vos por confessor um Santo!». 

Ao todo, fundou dezassete conventos. O último foi o de Burgos. O Inverno estava áspero e a saúde de Teresa muito débil. Mas no meio das maiores dificuldades, erigiu o último convento. Regressada a Ávila, mandaram-na para Alba de Tormes onde caiu de cama dizendo: «Não me lembro de me ter deitado tão cedo desde há muitos, muitos anos». Não se levantou mais. Nas suas últimas palavras de despedida disse: «Perdoem-me os maus exemplos que viram em mim, que sou má freira. Guardem a Regra e as Constituições, e não é preciso mais para as canonizar». 

Perguntaram-lhe se, morrendo queria ser enterrada em Ávila, ao que respondeu perguntando: «Mas aqui não terão um pouco de terra que me emprestem até ao dia do Juízo?». E morreu, exclamando: «Por fim, Senhor, morro filha da Igreja!». Eram nove horas da noite do dia 4 de Outubro de 1582. Nesse ano, o calendário foi actualizado pelo que o dia seguinte seria o 15 de Outubro. 

Teresa de Jesus foi uma mulher extremamente alegre, humilde e agradecida. A frei João da Miséria que a pintou num quadro, respondeu: «Deus te perdoe, Frei João, que me pintaste feia e enrugada!». Era de grande simpatia e afabilidade no trato com todos. Relacionava-se com Deus como com Amigo. Pela sua experiência, vida e escritos tornou-se Mestra e Doutora da Igreja sobretudo pelos ensinamentos em matéria de oração. 
Um dia disseram-lhe: «Madre, dizem que sois bonita, inteligente e santa. Que dizeis de vós mesma?». Teresa respondeu: «Bonita, vê-se bem. Inteligente, penso que nunca fui tonta. E santa, a veremos, assim Deus o queira!». 

Deixou-nos preciosos livros espirituais, tais como: Livro da Vida, Caminho de Perfeição, Moradas ou Castelo Interior, Livro das Fundações, Poesias, Exclamações, e mais de 500 cartas. O seu conteúdo espiritual e intuições teológicas são de tal maneira profundos que a Igreja a declarou Doutora da Igreja. 



TERESA DE JESUS ENSINA-NOS A ORAR

«E outra coisa não é, a meu parecer, oração mental, senão tratar de amizade – estando muitas vezes tratando a sós – com quem sabemos que nos ama. 

E se ainda O não amais (porque para que seja verdadeiro o amor e para que dure a amizade hão-de encontrar-se as condições: a do Senhor já se sabe, não falta; a nossa é ser pobre, sensual, ingrata), não podeis por vós mesmas chegar a amá-l’O, porque não é da vossa condição; mas, vendo o muito que vos vai em ter a Sua amizade e o muito que vos ama, passais por esta pena de estar muito com Quem é tão diferente de vós. 

Oh bondade infinita do meu Deus, que me parece que Vos vejo e me vejo desta sorte! Oh regalo dos anjos, que toda eu, quando Vos vejo, me quereria desfazer em amar-Vos! Quão certo é sofrerdes Vós a quem não sofre que Vós estejais com ele! 
Oh que bom amigo sois, Senhor meu, como o ides alegrando e sofrendo e esperais que se faça à Vossa condição e, entretanto, lhe sofreis Vós a sua! Tomais em conta, meu Senhor, os momentos em que Vos quer, e com um pouco de arrependimento esqueceis o que Vos tem ofendido. 

Tenho visto isto claramente por mim, e não compreendo, Criador meu, por que é que todos os homens não procuram aproximar-se de Vós por meio desta particular amizade que é a oração». 
Teresa de Jesus, Livro da Vida 8, 5-6 

Fonte: http://www.carmelitas.pt/site/santos/santos_ver.php?cod_santo=23

Texto enviado pela Comissão de Espiritualidade da OCDS

OCDS Camaragibe Participa das Admissões e Promessas da Comunidade de Bananeiras/PB

Com grande alegria e visando reforçar as bases da Ordem, a Vida em Comunidade e a Comunhão Fraterna, que a OCDS Camaragibe participou da Missa que incluiu a Solenidade de Admissão e Promessas da Comunidade Flos Carmeli, em Bananeiras/PB. A visita também tem por objetivo incentivar os demais Grupos, de Bananeiras até o litoral potiguar, os quais podem ser visitados por via terrestre em viagem de um único dia, a se aproximarem, para que possam interagir de modo mais pessoal e frequente. As dificuldades financeiras que atingem a maioria das Comunidades e Grupos também estão presentes, entretanto as adequações realizadas pelo Conselho, junto com o compromisso dos membros, têm permitido os deslocamentos e a participação da OCDS Camaragibe, e já teremos presença na solenidade do Grupo Pequena Via, de João Pessoa/PB e no Grupo de Nossa Senhora do Monte Carmelo, de Maceió/AL.

A Missa em Bananeiras foi presidida pelo Frei Claudiano de Aragão (ocd) e foi celebrada no Carmelo Sagrado Coração de Jesus e Madre Teresa. Na ocasião treze membros realizaram Promessas Definitivas, dois Promessas Temporárias ou Primeiras Promessas e outros seis receberam o Escapulário.

A Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus e da Santa Face, OCDS Camaragibe, através de Fred e Sena, acompanhados de familiares, fez-se presente e distribuiu uma pequena lembrança aos membros admitidos e professos.























sábado, 14 de outubro de 2017

9º Dia - Novena de Santa Teresa de Jesus unida à Virgem Maria


(Ano Mariano)

Oração Inicial:

Santa Madre Teresa, como encontrastes diante da Virgem Maria o consolo espiritual, a proteção maternal e o caminho seguro para a intimidade com o Seu Santíssimo Filho, intercedei para que, também nós, cresçamos sempre mais nas graças de tão bondosa Mãe. Amém.

9° DIA: "QUEM MAIOR A TIVER, MAIS O POSSUIRÁ."

Santa Teresa nos ensina que as virtudes são fundamentais para que uma alma seja levada à perfeição da oração, seja vocal ou contemplativa, mas que isto passa pelo caminho do desapego, e da prática das virtudes, entre elas destaca, a humildade e o amor como da Virgem Maria.
"A dama é a que mais guerra Lhe pode fazer neste jogo e todas as outras peças ajudam. Não há dama que assim O force a render-se como a humildade. Esta trouxe-O do Céu no seio da Virgem; e também por ela O traremos preso por um fio de cabelo às nossas almas. E crede: quem maior a tiver, mais O possuirá, e quem menos, menos. Porque não posso entender como haja nem possa haver humildade sem amor nem amor sem humildade, nem é possível haver estas duas virtudes sem grande desapego de todas as coisas." (C 16,2)

Virtude à praticar: AMOR.

Oração final:
Ó Deus, que marcastes pela vossa doutrina a vida de Santa Madre Teresa de Jesus, concedei-nos, por sua intercessão, que sejamos fiéis à mesma doutrina que a santificou, para bem proclamarmos com nossas vidas e nossas ações o vosso Amor e Misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Pai Nosso, Ave Maria, Glória. 

Santa Teresa de Jesus, rogai por nós.


Comissão de Espiritualidade da OCDS

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Salve a Virgem de Fátima, a Mãe Jesus, a Senhora e Rainha do Santo Rosário!


(Encerrando o Centenário das Aparições de N.Sra de Fátima)
#AlmaCarmelita

Louvamos o Centenário das Aparições de N.Sra. de Fátima, em Portugal. Presente para a humanidade, que sofria com as atrocidades da Primeira Grande Guera mundial, no início do século XX.
Com docilidade e insistência, a Santíssima Virgem Maria, a Mãe do Senhor Jesus, vinha aos Pastorinhos, Lúcia, Francisco e Jacinta - hoje São Francisco e Santa Jacinta -, indicando o caminho seguro de reversão dos temores e de confiança na salvação das almas, a partir da oração do Santo Terço. 
Através da simples oração do Santo Terço  e com insistentes súplicas da Santíssima Virgem, indo de encontro a coraçõezinhos puros, naquele momento a voz do Céu se fazia presente em Fátima e arredores, ecoando por todo o Portugal, seguidamente, pelo mundo inteiro.
Centralizada na Doutrina da Igreja, as mensagens de Fátima, atualizaram a devoção ao Coração de Jesus e à Eucaristia, ao sacramento da reconciliação e a prática da caridade, que também na prática de penitências de tão puras crianças, tornou-se para todo o mundo ao longo destes cem anos força, certeza e confirmação de inúmeros milagres, que se atualizam sempre mais a cada dia na vida de todos os que crêem no Cristo Senhor, seu amantíssimo Filho, dessa forma, e com a simples oração, a Virgem de Fátima e Rainha do Rosário, trouxe mensagens de conforto e esperança para aquele tempo que atualiza nos nossos dias, despertando profunda fé, esperança e amor a todos que dela se aproximam.
Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

Cantemos, rezando...
Cânticos - Treze de Maio

Avê, Avê, Avê Maria!
Avê, Avê, Avê Maria!

Estela Márcia - Grupo São José, Petrópolis/RJ.

8º Dia - Novena de Santa Teresa de Jesus unida à Virgem Maria




(Ano Mariano)


Oração Inicial:
Santa Madre Teresa, como encontrastes diante da Virgem Maria o consolo espiritual, a proteção maternal e o caminho seguro para a intimidade com o Seu Santíssimo Filho, intercedei para que, também nós, cresçamos sempre mais nas graças de tão bondosa Mãe. Amém.

8° DIA: "PAREÇAMO-NOS... COM A GRANDE HUMILDADE DA VIRGEM SACRATÍSSIMA"

Estando Santa Teresa a ensinar suas filhas sibre a matéria da mortificação. Falava de como se há-de fugir dos pontos de honra e das razões do mundo para chegar à verdadeira razão. Dirige-as à  humildade da Sacratíssima Mãe.
"Que Deus não nos deixe querer isto, mas, aquela a quem lhe parecer que entre todas é tida em menos, considere-se a mais feliz; e assim é, se o souber levar como deve, que não lhe faltará honra nesta vida nem na outra. Acreditai-me nisto. Mas que disparate eu dizer que creiam em mim, dizendo-o a verdadeira Sabedoria! Pareçamo-nos, filhas minhas, nalguma coisa com a grande humildade da Virgem Sacratíssima, cujo hábito trazemos, pois é confusão chamarmo-nos freiras suas; que, por muito que nos pareça que nos humilhamos, ficamos bem longe de ser filhas de tal Mãe e esposas de tal Esposo." (C 13,3)

Virtude à praticar: HUMILDADE.

Oração final:
Ó Deus, que marcastes pela vossa doutrina a vida de Santa Madre Teresa de Jesus, concedei-nos, por sua intercessão, que sejamos fiéis à mesma doutrina que a santificou, para bem proclamarmos com nossas vidas e nossas ações o vosso Amor e Misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Pai Nosso, Ave Maria, Glória. 

Santa Teresa de Jesus, rogai por nós.

Comissão de Espiritualidade da OCDS

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

7º Dia - Novena de Santa Teresa de Jesus unida à Virgem Maria


(Ano Mariano)


Oração Inicial:
Santa Madre Teresa, como encontrastes diante da Virgem Maria o consolo espiritual, a proteção maternal e o caminho seguro para a intimidade com o Seu Santíssimo Filho, intercedei para que, também nós, cresçamos sempre mais nas graças de tão bondosa Mãe. Amém.

7° Dia:"OS TRABALHOS NA IGREJA DEVEM SER GUARDADOS AOS CUIDADOS DE NOSSA SENHORA"

Em certa ocasião, Santa Madre Teresa aconselha as irmãs que rezem e supliquem sempre a Deus que favoreça os que trabalham pela Igreja. E termina recomendando que tais trabalhos na Igreja, tudo se deva fazer, guardando-se aos cuidados de Nossa Senhora como ela o fizera com a Sua Regra.
"Se nisto podemos alguma coisa com Deus, estando encerradas, pelejemos por Ele, e eu darei por muito bem empregados os trabalhos que passei para fazer este recanto, onde também pretendi que se guardasse esta Regra de Nossa Senhora e lmperadora com a perfeição com que se começou." (C 3,5)

Virtude à praticar: ZELO COM A MISSÃO (Apostólica, familiar, profissional).

Oração final:
Ó Deus, que marcastes pela vossa doutrina a vida de Santa Madre Teresa de Jesus, concedei-nos, por sua intercessão, que sejamos fiéis à mesma doutrina que a santificou, para bem proclamarmos com nossas vidas e nossas ações o vosso Amor e Misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Pai Nosso, Ave Maria, Glória. 

Santa Teresa de Jesus, rogai por nós.


Comissão de Espiritualidade da OCDS

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

ENCONTRO DAS COMUNIDADES/GRUPO DO RJ COM FREI JAVIER MENA - DEFINIDOR GERAL

(10.10.2017 - Basílica de Santa Teresinha, Tijuca Rio de Janeiro)


Com abordagens sobre a Identidade do Carmelita Secular, o Frei Javier, destacou a importância de nos reconhecermos herdeiros do patrimônio espiritual destinado aos três ramos da Ordem - frades, monjas e seculares. Lembrando-nos que, os três ramos têm em comum, a busca da santidade através do carisma. 
Destacou as riquezas de nosso carisma secular, acentuando e motivando a vivência do mesmo, vivendo aquilo que compete ao seu ramo específico. 
Com firmeza e até de maneira insistente, incentivou-nos à missão, reforçando a Carta do Padre Geral, no último Pentecostes - em comunhão com o Papa Francisco, na Evangeli Gaudim -, que dimensiona a sermos uma Igreja em saída."
Trouxe-nos, ainda as riquezas do Carmelo vivido em toda a América Latina através das breves colocações, e respostas às perguntas.

Trechos de sua colocação:
"Sou Frei Javier Mena, Definidor para América Latina....
Meu trabalho é conhecer os trabalhos de toda a ORDEM, dos frades, das monjas e dos seculares...
A identidade é a mesma. Somos uma só família. Éramos no passado família de três categorias: 1° lugar, frades, 2° lugar as monjas, 3° lugar os terceiros. Hoje não existe mais... somos uma única família chamada a santidade. Participamos do mesmo patrimônio Espiritual da Ordem. Da mesma riquezas...
O que é esse patrimônio? Responde: À Regra. Os Santos... que são a mesma coisa para nós e para vocês... Experiência qualificada de Deus... Não vivemos sós... compartilhamos do mesmo patrimônio espiritual... da mesma missão da Igreja.
Os leigos carmelitas são os primeiros a participar da missões da igreja... de dar a conhecer a riqueza do Carmelo."

"Na identidade CARMELITANA da OCDS, temos Constituições, Estatutos provinciais... mas, em muitos lugares precisa-se definir uma linha de trabalho. Assim como toda comunidade tem uma missão na Igreja... as monjas, na oração, na vida de clausura; os frades, missão pastoral... Somos uma família muito diversa... somos queles que servem e que conhecem Santa Teresa e São João da Cruz. Os seculares, trabalham na Paróquia com a espiritualidade CARMELITANA."

"O leigo carmelita há de se perguntar: Para que o Senhor me chama? Como identificar um trabalho apostólico? Porque têm comunidades de carmelitas que desenvolvem trabalhos diversos: Associação para servir aos pobres... Outras, vivem por devoção... porém, muitas devoções não é o suficiente - dirá Santa Teresa. No Brasil, são distintas comunidades, acompanhadas pelo Frei Alzinir Debastiane."

"Viva a sua vocação. Vocês são leigos... A missão de vocês não é ser como nós ou com as monjas... se vocês quiserem parecer como nós, o Carmelo perde... Se nós religiosos, quisermos viver como leigos, também o Carmelo perde... a identidade de vocês passa pela experiência, pela Formação e pela missão. São três chamados da mesma família. Viva a espiritualidade como leigo."

"Eu não sei o que é espiritualidade de família, de filhos... de trabalho... Cada um tem que abraçar a sua identidade, na sua espiritualidade... para serem santos. O Carmelo oferece uma espiritualidade para a santidade..."

================

Respostas às perguntas abertas:
1. Como é a sua experiência com o Carmelo Secular na América Latina?
"É muito diverso. É muito rico. Depende muito das Províncias, e dos trabalhos com os frades. Em alguns lugares, o Carmelo Secular está enfraquecido, outros muito dinâmicos, outros de muitos jovens, outros de ajuda paroquial...
Alguns lugares as comunidades estão envelhecidas. Outris, os frades estão mudando as mentalidades... Há 15 anos atrás alguns frades não queriam trabalhar com o Carmelo Secular, preferiam trabalhar na Paróquia... hoje temos comunidades de frades com iniciativas de renovação. Ex. Carmelo Secular da Venezuela...
Na América Latina as experiências são muito diversas... O Carmelo Secular precisa de uma estrutura... de autonomia..."

2. Todos os países têm Carmelo Secular?
"Sim. Mas, outros, estão trabalhando ainda suas estruturas... Cuba, por exemplo, tem apenas duas comunidades seculares. Mas, são antigas. Porém, o cemitério de lá é comum aos três ramos - Frades, Monjas e Seculares. Antes da revolução de Fidel Castro , existiam sete carmelos masculinos, hoje não mais."

3. O que faz o Definidor Geral?
"Ele é um Conselheiro junto ao Padre Geral (Prepósito Geral). Nossa tarefa é a de visitar os países e acompanhar o trabalho dos frades, e dar alguns conselhos. Pois, nos reunimos como todos os conselhos. Nós animamos os Provinciais, da mesma firma que o Provincial, a vida da Província, e Prior anima a vida da Comunidade."

. Algumas breves estatísticas:
. Frades no mundo. 4.000.
. Seculares no mundo. 33.000.
. Família no mundo. 55.000.
. Na Índia tem 1000 frades. Só na Índia, somos sete definidores.

. Carmelos femininos:
. Brasil. 57.
. Venezuela 4.
. Argentina 30.
(...)

Encerramento da colocação com breve incentivo:
"Na realidade da América Latina, cada lugar... Cada região precisa identificar sua realidade apostólica... para ser "Uma Igreja em saída..." - Papa Francisco.
Não se pode fechar em si mesmo. É necessário identificar uma missão... um TRABALHO APOSTÓLICO. Pequenas coisas, pequenas respostas, que depois vai crescendo."


Estela Márcia - Grupo São José, Petrópolis/RJ.



6º Dia - Novena de Santa Teresa de Jesus unida à Virgem Maria


 (Ano Mariano)


Oração Inicial:
Santa Madre Teresa, como encontrastes diante da Virgem Maria o consolo espiritual, a proteção maternal e o caminho seguro para a intimidade com o Seu Santíssimo Filho, intercedei para que, também nós, cresçamos sempre mais nas graças de tão bondosa Mãe. Amém.

6° DIA: "VI NOSSA SENHORA, COM GRANDÍSSIMA GLÓRIA..."

Ao final da fundação do Mosteiro de São José, Teresa teve inúmeras contradições e perseguições após a tomada de hábito de suas irmãs, foram grandes os trabalhos e tentações que ela passou, mas o Senhor lha prodigalizou com vitórias e glórias Suas e de Sua Santíssima Mãe.
"Estando eu, antes de entrar no Mosteiro, a fazer oração na Igreja e quase em arroubamento, vi Cristo; pareceu-me que me recebia com grande amor e me punha uma coroa, agradecendo-me o que fizera por Sua Mãe. Outra vez, estando todas no coro em oração depois de Completas, vi Nossa Senhora, com grandíssima glória, revestida dum manto branco e, debaixo dele, parecia amparar-nos a todas. Entendi quão alto grau de glória daria o Senhor às desta casa." (Vida 36,24)

Virtude à praticar: CORAGEM NAS ADVERSIDADES.

Oração final:
Ó Deus, que marcastes pela vossa doutrina a vida de Santa Madre Teresa de Jesus, concedei-nos, por sua intercessão, que sejamos fiéis à mesma doutrina que a santificou, para bem proclamarmos com nossas vidas e nossas ações o vosso Amor e Misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Pai Nosso, Ave Maria, Glória. 

Santa Teresa de Jesus, rogai por nós.


Comissão de Espiritualidade da OCDS

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Jubileu de Prata no Carmelo Secular


Aconteceu no dia 17/10/2017 a celebração jubilar das bodas de prata de Fernando Alcici e José Magela pelos 25 anos de promessas no Carmelo Descalço Secular.

Uma grande demonstração de fé e alegria pela pertença à Ordem do Carmelo.

Foi uma celebração maravilhosa na Capela das Irmãs Carmelitas de Florença, com a participação de taaaaaaannnnntas Congregações que mais parecia um encontro da CRB. Assim demonstrou a realidade de amizade, convivência e contatos de nosso irmão Fernando e Magela.

A Eucaristia foi presidida pelo nosso irmão e amigo, Frei Cleber, delegado para OCDS e concelebrada por: Pe. Eugenio, Jesuíta; Pe. Francisco Taborda, Jesuíta; Pe. Marco Aurélio, Barnabita; Frei Hudson, OCD; Frei Thiago, OC; Frei Vicente, OC; Frei João Xerri, OP; Pe. Aroldo, da Nova Jerusalém; Diácono Jackson,  Nova Jerusalém; e ainda a assembleia.

A música da celebração, numa melodia suave e firme cantada pelos nossos irmãos Frades de BH (Fr. Washington, Fr. Guilherme, Fr. Bruno [tecladista] e Fr Jean.)

Ainda na assembleia: Frei Evaldo - Provincial dos Carmelitas da Antiga observância; Pe Renivaldo,   Marista; Cyril, Jesuita;  Rivadavia e Tinus,  OCarm; tendo também a participação dos aspirantes OCD.

Um verdadeiro encontro com o Cristo de Teresa que é também nosso e motivo de seguimento nesta espiritualidade silenciosa e orante.

A alegria de Fernando contagiou todos participantes. A acolhida e organização de sua esposa Anelise foi uma verdadeira demonstração de amor.

A simpatia de Magela e o sorriso de sua esposa Suely numa agradável experiência de gratidão.

Tudo parecia um céu, na verdade se fez céu pela unidade da Igreja que ali se reuniu para cantar as misericórdias do Senhor.

A festa prosseguiu com momento fraterno, recheado de conversas amigas, fotos, música ao vivo e até um monólogo cênico no qual foram homenageados nossos irmãos.

Como dizia Fernando: A festa é de Teresa. 

Cremos que Sta Teresa como filha fiel da Igreja festejou no céu a firmeza e perseverança no testemunho de seus filhos Fernando e Magela.

Estiveram presentes as Ordens e Congregações: 
Carmelo Descalço, Carmelo A observância, Carmelitas de Florença, Carmelitas missionárias, Carmelitas da Divina Providência, Servas de Sta Teresinha, Carmelitas da Caridade Vedruna, Dominicanos, Jesuítas, Maristas, Cénaculo, Franciscanas do sagrado coração de Jesus, Franciscanas Missionárias de Maria, Franciscanas Penitentes Recoletinas, Imaculatinas, Marcelinas, Mestras de Sta Doroteia, Filhas dos Sagrados corações, Bom Pastor, Missionárias servas do E Santo, Servas do Ssmo Sacramento, Divina vontade, Companhia de Maria, Barnabitas, Angélicas, Pequenas Irmãs da Divina Providência, Paulinas, Oblatas do Ssmo Sacramento, Oblatas do Ssmo Redentor, Monte Calvário, Servas de Maria do Brasil, e Nova Jerusalém.

Institutos Seculares:
Missionários da Eucaristia, voluntárias de Dom Bosco, 

Leigos consagrados:
Carmelitas seculares de Belo Horizonte, de Itáuna, Caratinga, Sete Lagoas, e a fraternidade de carmelitas leigos, palautinos e Eremitas, E vários amigos e familiares dos jubilandos.

Com toda esta Igreja reunida bendigamos a Deus nosso louvor, à Virgem Maria nossa mãe e irmã no caminho e a Sta Teresa e toda corte celeste pelos jubilando no Carmelo Descalço secular Fernando e Magela. 





De fato um testemunho aberto que nos impulsiona a prosseguir neste caminho.

Aproveito para destacar entre tantos depoimentos e felicitações o de Pe Eugenio sacramentino que dirigiu por tanto tempo espiritualmente a pessoa de Fernando. Assim ele diz:

Um homem da busca constante de Deus. Isto expressa e fundamenta sua escolha por consagrar a sua vida. Ávido de conhecimento espiritual, busca aprofundar nas escolas dos grandes místicos. Traduz sua entrega a Deus numa disponibilidade em acolher as fragilidades dos irmãos e irmãs, exercendo com competência seu oficio. Homem da comunicação, sempre sabe expressar alegria que brota do seu encontro diário com a Eucaristia e mostra sensibilidade para com as pessoas que o cercam. Na sua escolha de vida como Carmelita, abre-se num dialogo com as diferentes famílias carismáticas. Isto produz um aprofundamento de sua própria identidade carmelitana. Conhecedor dos mistérios e das profundezas humanas, nas suas fragilidades e potencialidades, sabe fazer uma síntese espiritual que o diferencia como consagrado e profissional.

Em tudo Deus seja louvado!

Ana Maria Eymard Pereira Scarabelli- OCDS /
Comunidade Sta Teresinha- Caratinga- MG

Homenagem Frei Deneval, ocd


“Não morro, entro na vida” Sta Teresinha

Após 120 anos que Sta Teresinha partiu para eternidade, na mesma data e quase na mesma hora, nosso irmão e querido amigo Frei Deneval Januário, filho desta diocese de Caratinga, partiu para a casa do Pai.

Frei Deneval Januário, Carmelita Descalço, homem de poucas palavras, de uma atenção incrível às pessoas marcou nossa Ordem, nossa vida e de muitos com sua experiência mística e simples de manter a fé.

Muito profundo em suas homilias, retiros e oficinas de oração, deixando sempre um tempo de silêncio entre esta e aquela atividade, celebração, afim de que os participantes pudessem experimentar a intimidade com Deus.

Viveu com intensidade seu Sim buscando sempre atender com disponibilidade as monjas, a OCDS, as comunidades que precisavam dele sejam nesta ou naquela missão. Amava ensinar a leitura orante da Palavra.

Orientou diversos retiros para as crianças da catequese em preparação a Eucaristia e nos mesmos oferecia a 1ª eucaristia para elas, sem fotos, roupas bonitas ou qualquer coisa que pudesse tirar o olhar no Cristo Eucarístico. Mas, com total clareza, dava direito as crianças de experimentar o Amado no silêncio da oração.

Foi formador, superior conventual, Provincial e em todo tempo empenhado em formar e dar o melhor de si.

Ressaltava com firmeza que a Palavra de Deus era certeza ao dizer que quem deixa tudo por causa do reino, não lhe falta nada e assim repetia que nunca nada lhe faltou.

Também que a vida espiritual é cheia de sinais que nos apontam o verdadeiro caminho, assim como as placas de uma estrada.

Suportou com mansidão e serenidade o sofrimento pela doença, optando pela vida e trabalho enquanto pôde.

Agora entra de fato na vida e experimenta ver sem véus Aquele que serviu na terra de forma tão competente.

Nosso coração despede fisicamente de ti e para sempre unidos na força da oração e amizade.

Até logo amigo irmão Frei Deneval.

Ana Maria Eymard Pereira Scarabelli Carmelita secular

5º Dia - Novena de Santa Teresa de Jesus unida à Virgem Maria


(Ano Mariano)

Oração Inicial:

Santa Madre Teresa, como encontrastes diante da Virgem Maria o consolo espiritual, a proteção maternal e o caminho seguro para a intimidade com o Seu Santíssimo Filho, intercedei para que, também nós, cresçamos sempre mais nas graças de tão bondosa Mãe. Amém.
5º DIA: "ERA GRANDÍSSIMA A FORMOSURA QUE VI EM NOSSA SENHORA"
Ainda, da festa da Assunção de Nossa Senhora, durante a fundação do mosteiro de São José, grandes foram as consolações do Senhor, que a consola, enleva à oração de recolhimento, a partir da terna experiência maternal da Virgem Maria.
"Era grandíssima a formosura que vi em Nossa Senhora, ainda que não pude divisar nenhuma feição particular, mas vi em conjunto a feitura do rosto. Vestia de branco, num grandíssimo resplendor, não que deslumbra, mas suave. Ao glorioso S. José não vi tão claramente, embora bem visse que estava ali, como nas visões que tenho dito que se não vêem. Parecia-me Nossa Senhora muito jovem. Estando assim um pouco comigo e eu com tão grandíssima glória e gozo, que segundo me parece, maior jamais havia tido e nunca quisera apartar-me dele, pareceu-me que os vi subir ao Céu acompanhados por uma grande multidão de anjos. Fiquei em muita soledade, embora tão consolada, enlevada, recolhida em oração e enternecida, que estive algum tempo sem me poder mover, nem falar, mas como quase fora de mim. Fiquei com veemente anseio de me desfazer por Deus e com tais efeitos - de tal modo tudo se passou - que nunca pude duvidar, ainda que muito quisesse, não ser coisa de Deus. Deixou-me consoladíssima e com muita paz. (Vida 33,15)
Virtude à praticar: DOCILIDADE NO TRATO COM OS IRMÃOS.
Oração final:

Ó Deus, que marcastes pela vossa doutrina a vida de Santa Madre Teresa de Jesus, concedei-nos, por sua intercessão, que sejamos fiéis à mesma doutrina que a santificou, para bem proclamarmos com nossas vidas e nossas ações o vosso Amor e Misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Pai Nosso, Ave Maria, Glória. 

Santa Teresa de Jesus, rogai por nós.

Comissão de Espiritualidade da OCDS

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Homenagem ao Frei Deneval, OCD.


Assista ao vídeo:

video



4º Dia - Novena de Santa Teresa de Jesus unida à Virgem Maria


(Ano Mariano)

 Oração Inicial:

Santa Madre Teresa, como encontrastes diante da Virgem Maria o consolo espiritual, a proteção maternal e o caminho seguro para a intimidade com o Seu Santíssimo Filho, intercedei para que, também nós, cresçamos sempre mais nas graças de tão bondosa Mãe. Amém.

4° Dia: "VI NOSSA SENHORA A MEU LADO DIREITO E A MEU PAI SÃO JOSÉ À  ESQUERDA."

Na festa da Assunção de Nossa Senhora, durante a fundação do mosteiro de São  José, grandes foram as consolações do Senhor, mediante aos trabalhos que teve. Apesar de se ter por "ruim", diz ter experimentado "um arroubamento tão grande," que quase a tirou de si. Diz:
"Sentei-me e até me parece que não pude ver a Elevação, nem ouvir a Missa, que depois fiquei com escrúpulo disto. Parecia-me, estando assim, que me via vestir uma roupa de muita brancura e claridade."
"A princípio não via quem ma vestia; depois vi a Nossa Senhora a meu
lado direito e a meu Pai S. José à esquerda, que me vestiam aquela roupa. Deu-se-me a entender que já estava limpa de meus pecados. Acabada de vestir e eu com grandíssimo deleite e glória, logo me pareceu Nossa Senhora pegar-me nas mãos. Disse-me que Lhe dava muito gosto sendo devota do glorioso S. José; que tivesse por certo que, o que eu pretendia do mosteiro, se havia de fazer e nele se serviria muito o Senhor e a eles ambos; que não temesse que nisto houvesse jamais quebra, embora a obediência que dava não fosse a meu gosto, porque Eles nos guardariam e já Seu Filho nos tinha prometido andar conosco. Para sinal de que isto se cumpriria dava-me aquela jóia. Pareceu-me então que me tinha deitado ao pescoço um colar de ouro muito formoso e preso a ele uma cruz de muito valor. Este ouro e pedras são tão diferentes das de cá, que não têm comparação. Sua formosura excede a tudo o que podemos aqui imaginar, pois o entendimento não alcança compreender de que era a roupa, nem como imaginar a alvura que o Senhor quer que se nos represente. Tudo parece aqui como um debuxo (esboço feito) a carvão, a modo de dizer." (Vida 33,14)

Virtude à praticar: CUIDADO COM O OUTRO.

Oração final:

Ó Deus, que marcastes pela vossa doutrina a vida de Santa Madre Teresa de Jesus, concedei-nos, por sua intercessão, que sejamos fiéis à mesma doutrina que a santificou, para bem proclamarmos com nossas vidas e nossas ações o vosso Amor e Misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Pai Nosso, Ave Maria, Glória. 

Santa Teresa de Jesus, rogai por nós.


Comissão de Espiritualidade da OCDS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...